Menu Fechar

A (exemplar) adaptação dos madeirenses à pandemia da covid-19

Desde sempre que os madeirenses demonstraram uma grande capacidade de superação, constituindo assim um exemplo para todos através da sua responsabilidade individual e coletiva de modo a ultrapassar o atual quadro pandémico.

Esta semana foi notícia nos órgãos de comunicação social um estudo elaborado pela UMa que deu conta que os madeirenses desenvolveram mecanismos eficazes de ajustamento à pandemia que resultaram no equilíbrio emocional e na manutenção da saúde mental numa situação de stresse prolongado e de evolução imprevisível.

Recuando um pouco atrás no tempo, nenhum de nós alguma vez pensou que aquilo que até 2019 era meramente um marco histórico do passado e que supostamente era impossível acontecer face ao desenvolvimento da medicina e da investigação científica, fosse realmente concretizado. Um vírus que fez parar o mundo, a economia global, os hospitais e que nos confinou a todos causando danos possivelmente irreparáveis para o futuro que a curto prazo não se perspetiva livre dos constrangimentos causados pela covid-19.

Todos fomos prejudicados, os jovens tiveram de se adaptar a uma nova metodologia de ensino, os seus professores, muitos deles inadaptados às novas tecnologias, rapidamente tiveram de se preparar de modo a dar resposta a uma corrida contra o tempo. Os pais tiveram de lidar com problemas de ansiedade, de medo, insegurança dos seus filhos pois tudo era novo e ninguém sabia ao certo como lidar com a situação. Até as autoridades de saúde e governamentais tantas vezes deram passos em falso, tomando medidas e tempos
mais tarde recuando.

Era por isso inevitável que a nossa saúde mental saísse ilesa de toda esta situação, tendo os madeirenses e o Governo Regional da Madeira demonstrado a todo o país e ao mundo uma grande capacidade de civismo e responsabilidade, tendo sido pioneiros na tomada de medidas bem como no seu comprimento salvaguardando assim um bem maior, a saúde publica.

Foi isto que se concluiu do estudo elaborado pela UMa e devo dizer que para mim não é surpreendente visto que o madeirense face aos desafios e dificuldades que enfrentou durante toda a sua história tendo como ponto alto, a meu ver, a conquista da autonomia em 1976, demonstrou uma grande capacidade de resiliência e retidão. Foi devido a este marco histórico que nos foi possível enquanto região autónoma poder tomar medidas pioneiras no combate à pandemia e permitir um controlo rigoroso deste vírus.

Desde dezembro de 2019 que muita coisa mudou, os afetos tiveram de ser deixados de parte, a interação social reduziu-se à comunicação através das novas tecnologias, a economia alternou entre o fecho e o retorno, o trabalho passou a poder se feito através de casa.

Uma coisa é certa, nada será como dantes e precisamos de aprender com esta pandemia. A comunidade científica alertou que pandemias serão cada vez mais frequentes e mais severas por isso teremos de estar consciencializados para hábitos de vida saudáveis e de acordo com a etiqueta sanitária. 

Bernardo Bettencourt
Militante da JSD Madeira

Posted in Voz da Jota

Related Posts