Menu Fechar

Despertar Machico

O ano 2021 é mais uma oportunidade que os jovens machiquenses têm, para alterar o rumo do seu concelho, que teima em estar adormecido pelas amarras de quem muito fala e pouco faz.

Ter um município com gente jovem, é sinónimo de uma cidade mais dinâmica na vertente económica e financeira, na qual haverá uma natural melhoria dos níveis académicos, jovens esses com grandes capacidades de adaptação às necessidades do mercado, com novas ideias e projetos que se refletem em novos empregos.

Machico encontra-se confinado desde 2013, não há obras e não há interesse em quaisquer tipos de responsabilidades de grau mais elevado, com uma política obsoleta que, quando é posta à prova, invoca fantasmas do passado para mascarar a sua incompetência na falta de capacidade de resolução dos problemas e na escassez de ideias para o futuro. Se o nosso concelho continuar com este desnorte, que não haja dúvidas de que o futuro não será diferente do presente, em que se demarcam de fortes investimentos no concelho e apostam continuamente numa curiosa astúcia de proximidade, mascarando assim os problemas que todo o município enfrenta.

Este nosso concelho, que nos tanto orgulha e enaltece, continua apático e sereno enquanto tudo à sua volta prospera. Cada ano que passa não é só mais uma oportunidade para alterarmos o rumo do nosso concelho, como é mais um ano em que Machico perde jovens. Cada jovem que sai do nosso concelho, é mais um tiro no pé e menos uma solução que temos para voltar a colocar Machico no caminho do desenvolvimento.

Através da diminuição da população mais jovem que nos acompanha anualmente, é notória a falta de interesse dos jovens que querem iniciar as suas vidas em Machico. Razão? Falta de estratégia para manter e fixar o emprego jovem ou pelo apoio inexistente a quem quer começar uma vida, nomeadamente na área da habitação. Há desinteresse porque encontram melhores oportunidades fora do concelho.

É aos nossos jovens que, lhes-é retirado o tapete quando são recusadas as suas candidaturas às bolsas de estudo de ensino superior por frequentarem o 2º ciclo universitário, nomeadamente o mestrado, sem haver qualquer alínea ou referência descrita na regulamentação, que invoque esta decisão absolutamente discriminatória.

É também nesta comprovada terra de desportistas, que na sua principal freguesia não existe um espaço em que os jovens possam usar e desfrutar da prática desportiva gratuita, indo contra o desenvolvimento físico, mental e social dos jovens.

É neste concelho, cheio de histórias por contar, que o turismo jovem é pouco ou inexistente. Os anos passam e a inércia continua sem que se consiga atrair novos investimentos turísticos. Com um turismo forte, naturalmente que Machico geraria riqueza, na possibilidade de investimentos, dando lugar a novos empregos que iam surgir através de bares, hotéis, restaurantes, lojas e outras atividades que seriam criadas, a promoção de novas conexões internacionais, havendo um maior multiculturalismo no concelho e expondo os munícipes a novas realidades e culturas.

Fazem de sua bandeira e esperam ansiosamente que os grandes eventos por cá realizados façam chegar os euros “estrangeiros” e as libras, eventos estes que acontecem não só pelas condições geográficas que o concelho apresenta, mas também pelos grandes investimentos feitos no passado por conta de outros, proporcionando as condições ideais para a realização dos mesmos.

Aliada a esta situação está a cultura, sendo comprovadamente um dos claros motores do crescimento do turismo, que contém várias vantagens desde a preservação do património cultural/artístico e com impactos na economia, nada de impactante se faz para revitalizar, sendo também esta uma das maneiras de trazer mais turistas às nossas freguesias.

Nesta pandemia da Covid-19 que nos acompanha há cerca de um ano, que não foi criada nenhuma solução para que se desse um abanão na economia do município. Admito que dada a experiência desta autarquia em estar próximo às pessoas, finalmente fossem capazes de sair fora do seu habitat e arrebatar-nos com algo envolvente e benéfico para todos, eliminando toda esta suspeição e insegurança do dia a dia. Sendo que as únicas soluções encontradas foram cartazes espalhados apelando aos munícipes “Compre em Machico” e a isenção das rendas dos espaços de comércio pertencentes à Câmara, esquecendo e abandonando os restantes empresários do concelho.

Os jovens, querem que a nossa terra, Machico, continue a avançar e evoluir, ao invés de insistir manter-se nesta bolha permanentemente ligada a um quadro político gasto e nada benéfico para os habitantes do concelho. Com os intervenientes habituais que usam e abusam dos mesmos diálogos com o passar dos anos e que fazem sua bandeira os trabalhos de proximidade, estes mesmo andam vaidosos pela falta de uma maior critica da população, mas a realidade é que é difícil criticar quando não há trabalho feito.

Os jovens necessitam de incentivos a ficar na terra que os viu crescer, precisam de sentir-se apoiados e salvaguardados caso necessário, carecem de mais oportunidades e investimentos nas áreas destinadas. Querem um concelho dinâmico em todas as vertentes, com mais empregabilidade, com mais oportunidades…. Há muito trabalho por fazer!

Alerto assim aos jovens machiquenses que Machico precisa de nós, e que 2021 seja o ponto de viragem. Que se façam ouvir para que, juntos, consigamos ultrapassar as adversidades que nos acompanham há anos. Machico mais do que nunca precisa de ter esperança e necessita de traçar novas metas para progredir ao invés de continuar a ficar para trás.

Pelos Jovens, Por Machico.

André Pão
Presidente da JSD Machico

#LiderarParaTi

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *