Menu Fechar

Ensino Secundário à Distância

Ensino Secundário à Distância realça dois problemas na sociedade portuguesa

Devido à conjuntura atual que vivemos (Pandemia, COVID-19), foram várias as áreas afetadas, tendo o ensino sido uma delas.

Na procura de alternativas que minimizassem as consequências deste problema de saúde pública, visto que as aulas deixaram de ser feitas de modo presencial, as entidades responsáveis recorreram às ferramentas digitais. Este novo formato de aprendizagem, apelidado de ensino à distância, veio sem dúvida alguma mudar a maneira como toda a comunidade educativa (alunos, professores, funcionários e encarregados de educação) olha para o ensino. O sistema de ensino implementado teve tanto de inovador, como também foi uma forma de expor os problemas sociais que muitos estudantes/famílias ainda hoje passam.

Como aluna de Ciências e Tecnologias, encontro-me também em regime de ensino à distância, e posso constatar que as dificuldades com que me deparo não se comparam às que muitos estudantes possuem. O ensino à distância realçou a existência de dois problemas na sociedade portuguesa: a falta de acesso às novas tecnologias por parte de alguns estudantes com menos poder económico e a forma como o sistema de ensino em Portugal está organizado. 

O ensino à distância constitui um desafio, sobretudo para os alunos que não conseguem ter acesso a um computador, Tablet, telemóvel ou simplesmente porque não possuem internet em casa. As dificuldades descritas não são mais do que um obstáculo aos estudantes que não possuem forma de aceder às aulas online e não conseguem contactar com os seus professores e colegas. O isolamento para estes torna-se mais acentuado e, embora mais visível nos meios rurais, o mesmo é possível constatar nas zonas citadinas.

Outro problema com o qual, nós estudantes nos deparamos, principalmente os do ensino secundário, reside no facto de neste modelo de ensino, a realização de testes não é a mais indicada, e deste modo, muitos alunos que planeavam tentar subir as suas notas no ultimo período, encontram-se quase que privados de o fazer. Não esqueçamos que no sistema de ensino português, os testes são a componente de avaliação com mais peso na nota final de cada aluno. Com isto, podemos reconhecer, que o tradicional sistema de avaliação necessita de uma reforma, onde os alunos não sejam somente avaliados pelos seus testes, isto é, pela sua capacidade de decorar/derramar sobre a matéria lecionada, mas sim pelo trabalho e empenho em aprender. Em suma, acredito que o nosso sistema educativo, talvez devesse passar por algo mais prático e não tão teórico.

É de referir, ainda, como problemático, o baixo rendimento que a maioria dos alunos apresenta quando em casa, pois simplesmente não se revê em ambiente escolar e então não se dedica do mesmo modo como se estivesse na escola. De igual modo, é de salientar que aqueles alunos que já apresentavam dificuldades na escola, em compreender e acompanhar o conteúdo lecionado, em casa as dificuldades que os mesmos sentem tendem a tornam-se ainda maiores.

Assim, concluímos que o Ensino secundário à distância constitui uma ferramenta muito útil face à conjuntura atual, mas veio realçar as dificuldades, económicas, sociais e escolares que muitos estudantes e encarregados de educação passam e a necessidade de encontrar, em conjunto, respostas para ultrapassar os problemas existentes.

Filipa Mafalda de Jesus
Militante da JSD Madeira

#LiderarParaTi

1 Comment

  1. Cátia

    Muito bem Filipa! Grande texto, grande visão!
    Contudo, também acho que quando o aluno quer, trabalha e consegue, seja em que formato de ensino for…
    Beijinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *