Menu Fechar

Normalidade

A esta crise que mais parece uma guerra sem armas é de evidenciar duas partes, a parte guerra a fim se tratar de salvar vidas, de mitigar os danos causados e de reduzir drasticamente a atividade económica.  A outra a fase, é recuperação pós-guerra em que pandemia será controlada com o uso de vacinas e de medicamentos.

Posto isto, as restrições que estão sendo impostas vão sendo abolidas e a economia pouco a pouco voltará à normalidade. Esta normalidade dependerá do ritmo de recuperação e das políticas tomadas durante a crise. Se estas garantirem que os trabalhadores não desaposem seus empregos e que as empresas não corrompam as suas parcerias económicas e comerciais, tenderemos uma recuperação mais rápida.

Por consequência, isto não é uma tarefa própriamente fácil para garantir o funcionamento dos sectores essenciais e promover recursos suficientes para que as pessoas atingidas os tenham. Assim as políticas devem salvaguardar a relação entre produtor-vendedor-consumidor para que a actividade económica seja tomada a “pleno”.

Por outro lado, promover a recuperação terá os seus próprios desafios, visto que retomando o sucesso desta pandemia, as taxas de juro e a demanda agregada provavelmente serão baixas e nas eventualidades as medidas fiscais serão um impulso à demanda o qual será eficaz à medida que mais pessoas possam retomar os seus trabalhos.

Finalizo, dizendo que cada um de nós poderá contribuir e ser a resolução para que retomemos a nossa dita “normalidade”.

Igor Freitas Velosa 
Militante da JSD Madeira

30/04/2020

#LiderarParaTi

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *