Menu Fechar

Os heróis sem capa

Os heróis sem capa são pessoas que vestem roupas normais, que têm famílias e que diariamente vão trabalhar, saindo de casa com o nascer do sol e regressando muitas vezes já na companhia do luar. São homens e mulheres que diariamente contribuem para salvar vidas, passam despercebidos pelos locais onde andam e por isso não são reconhecidos como as estrelas do desporto e outros frequentadores das primeiras páginas dos jornais. Estes heróis usam máscaras, estão na linha da frente no combate às doenças e cumprem o seu dever protegendo todos, independentemente da classe social, raça ou crenças religiosas.

São muitos os heróis que a nossa sociedade possui, mas dedico este texto em particular aos profissionais de saúde que, neste contexto de pandemia, têm sido inexcedíveis. É perante este “amor à causa” que escrevo com o intuito de homenagear estas classes e sensibilizar os nossos governantes, para uma alteração nos procedimentos que nos últimos tempos têm sido apanágio e que desprestigiam aqueles que mantêm o Sistema Nacional de Saúde em exemplar funcionalidade. Fico incrédulo quando toda a função pública recebe no mês de abril o aumento de 0,3% e os médicos e enfermeiros ficam esquecidos pelo Governo. Também não compreendo a exceção aberta à CGTP no 1º de Maio, isto irá abrir exceções a Fátima à festa do Avante e outros eventos, pondo em causa os enormes sacrifícios feitos por muita gente.

Preocupa-me não só o presente mas também o que será o futuro em particular dos médicos uma vez que escrevo na condição de aluno de medicina. Preocupa-me especialmente o facto de haverem em Portugal mais de 3500 médicos que não têm acesso à especialidade devido a faltas de vagas. Em 2018 foram 676 os médicos que não tiveram acesso a especialidade médica e esse número tem crescido cada vez mais. Isto leva a que muitos médicos que fazem toda a sua formação em Portugal acabem por escolher outros países para se especializarem, países esses onde os salários são muito mais atrativos do que em Portugal.  

Como jovem que sou, embora não acredite em utopias, tenho fé que no futuro, todos nós, iremos fazer uma análise sobre o que aprendemos durante esta pandemia e iremos evoluir enquanto cidadãos integrantes de uma comunidade comum e principalmente enquanto seres humanos. Independentemente do que acontecer, os médicos e demais profissionais de saúde, continuarão a fazer a sua parte, com a mesma determinação de sempre, com o mesmo altruísmo que lhes é caraterístico, porque, apesar de tudo, são os heróis sem capa.

João Diogo Martins
Militante da JSD Madeira

#LiderarParaTi

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *